REDAÇÃO CIENTÍFICA, cursos | livros de metodologia científica

REDAÇÃO CIENTÍFICA - Pedro Reiz

Livros de metodologia científica para as disciplinas de redação científica, metodologia de pesquisa científica, métodos e técnicas de pesquisa e afins

Metodologia científica: conheça blogues interessantes

Dicas de redação científica: cuidados especiais

Não se presume resolver todos os desafios que cercam o pesquisador e o estudo nem oferecer regras. Do mesmo modo que há trabalhos com evidente incompletude e sujeitos às generalizações, há também pesquisadores sérios que precisam de auxílio para transpor certos momentos. Seguem algumas dicas:

  • Procura-se a palavra exata. Exemplos: fazer menção é mencionar. Fazer relação é relacionar. Fazer citação é citar. Fazer medicina é cursar. Fazer a tese é escrever ou redigir.
  • Evite sempre que possível: "grande maioria", "maioria", "quase todos", "muitos deles", "maior parte" e outras expressões que rompem com a precisão. Indique a quantidade, peso, medida e outras informações de modo exato.
  • Foge-se de adjetivos que não indicam com precisão a proporção de objetos nem esclarecem com exatidão: modo, lugar e tempo (pequeno, médio, grande, aproximadamente e recentemente). O pesquisador também deve fugir de adjetivos que se distanciam da redação científica: "fantástico", "imenso", "fabuloso", "incrível", "maravilhoso". A lista é extensa!
  • Evitam-se lugares-comuns: "assunto em tela", "à guisa de", "trazer à baila", entre outros que destoam da redação científica moderna.
  • Empregam-se termos em outra língua só quando não existir semelhante em português ou quando o estudo exigir.
  • Não usar: "parte integrante", "planos futuros", "reunir junto", "cada indivíduo isoladamente", "o teste foi precisamente correto", "foi significativo observar", "está completamente comprovado", "tendo em vista a importância" e outras expressões banais.
  • Antes de abreviatura é necessário escrever por extenso o que a sigla representa e só depois apresentá-la. Exemplo: Organização Mundial da Saúde (OMS).
  • Cuidado com o emprego de et cetera (etc.). Se usado depois de enumerar poucos itens, pode demonstrar que a informação não está completa. Todavia, muitas vezes, não há como desviar. Prefere-se, então, o uso dele em referência a coisas, não a pessoas.
  • Retira-se do texto os sinais de parênteses para indicar outras possibilidades de leitura. Exemplo: pela(s); pessoa(s); entidade(s). É mais sensato com o leitor optar pela construção no singular ou no plural.
  • Eliminam-se as barras para indicar "e/ou". Exemplo: teórica/prática. Pode-se escrever "teórica e prática" ou "teórica ou prática". É simples e o leitor entende como também agradece.
  • A padronização das unidades de medida segue o modelo de unidade métrica: litro (l), metro (m), quilograma (kg) e as temperaturas, graus Celsius (ºC).


  • Redação científica: pesquisa de artigos científicos

    Começo por um ponto pouco comentado, mas atual. Existem milhões de revistas científicas disponíveis em diferentes áreas do conhecimento (sempre haverá exceções), e neste site indico algumas bases de dados para pesquisa de artigos científicos. Há ampla publicação científica disponível tanto em bibliotecas universitárias quanto na internet. Muitas são gratuitas e se encontram a um clique do mouse.

    Cuidado

    Evite citar revistas que podem ser adquiridas nas bancas, jornais comerciais, sites generalistas e livros que tratam o Tema de pesquisa com base no senso comum. Os sites comerciais publicam "artigos" de natureza não científica. Artigos científicos são encontrados em revistas e jornais científicos, ou seja, em periódicos científicos. Os livros mais comercializados em determinadas áreas nem sempre são os mais adequados ao Problema central que o pesquisador busca resolver.

    De qualquer maneira, são o Objetivo do estudo e o Problema central (Ideia de pesquisa) que delimitam as fontes. Não o contrário. Caso as fontes delimitassem o Problema central, alguém poderia pensar que não se conhece toda a bibliografia, que se investigou pouco e talvez alegasse que não há bibliografia disponível, quando o que ocorreu foi não saber procurá-la.

    Aqui, infelizmente, não é possível oferecer explicações mais precisas. No entanto, a pesquisa correta dos artigos científicos também se baseia na diferenciação de Assunto e Tema, no propósito do trabalho e no conhecimento dos descritores corretos, entre outros saberes necessários, pois todas as etapas do estudo são redigidas com o uso de livros e artigos científicos selecionados no início ou durante o trabalho.